90 Anos do Cristo Redentor | Medalha de Cuproniquel

90 Anos do Cristo Redentor

Medalha de Cuproniquel Cuproniquel


Indisponível no momento

 

Em 1859, o padre francês Pierre Marie Boss, capelão da Igreja do Colégio da Imaculada Conceição, em Botafogo, sugeriu a construção de um monumento cristão no morro do Corcovado. A Princesa Isabel era uma das frequentadoras de suas missas e chegou a apoiá-lo. Durante os movimentos abolicionistas, sugeriram que Isabel deveria ser a homenageada com uma estátua denominada “A Redentora”. A princesa gentilmente manifestou que não merecia tal honraria, cabendo-a, sim, conforme suas palavras, ao verdadeiro redentor dos homens, Jesus Cristo. Com o fim da Monarquia, aquela ideia não foi adiante.

Em 1921, o Círculo Católico do Rio de Janeiro apresentou uma segunda proposta para fazer um monumento de larga escala no topo do Corcovado. O grupo recolheu mais de 20 mil assinaturas de fiéis, que foram entregues ao presidente Epitácio Pessoa, que cedeu o terreno. Houve também campanha para arrecadar dinheiro. Com o aval, foi feito um concurso para eleger o melhor projeto para a construção. O vencedor foi o engenheiro Heitor da Silva Costa, que teve a colaboração do artista plástico Carlos Oswald e do escultor francês Paul Landowski para executarem a obra a partir de 1922.

O monumento foi inaugurado em 12 de outubro de 1931. Ícone máximo do Rio de Janeiro, a estátua representa Jesus Cristo com os braços abertos. São 1.145t. de peso, 38 m de altura e 28m de extensão dos braços. Com estilo Art Déco, sua estrutura de concreto armado e revestimento de pedra-sabão está a 710m acima do nível do mar. O Cristo, como é carinhosamente chamado pelos cariocas, foi eleito, no simbólico dia 07/07/2007, uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. Já em 2012, ele entrou para a lista Patrimônio da Humanidade pela Unesco. E há 90 anos, de braços abertos para o mundo, o Santuário Cristo Redentor encanta turistas e cariocas como símbolo de esperança e fé.

Arnaldo José da Silva Xavier

Especialista em Leitura e Produção Textual/UFF & Técnico Operacional/Casa da Moeda do Brasil

Anverso

Na parte superior do anverso, há a aplicação de uma opção da Marca Comemorativa dos 90 Anos do Cristo Redentor entre as eras 1931 e 2021. Na parte inferior, há composição formada, em primeiro plano, pelo Cristo Redentor feito por meio de modelagem manual, e, ao fundo, pelo contorno da Baía de Guanabara, com seu traçado característico. Em acabamento granitado, estão as silhuetas do Pão de Açúcar e da cidade do Rio de Janeiro.

Reverso

Em destaque, à esquerda, a imagem do Cristo Redentor acompanha a frase: DE BRAÇOS ABERTOS PARA O MUNDO. Complementando a composição, há à direita, com acabamento granitado, triângulos que formam um mosaico e fazem alusão ao engajamento da população, na sua maioria mulheres, que confeccionaram placas de tecido revestidas de esteatita (pedra sabão) que viriam a ser aplicadas em toda a estátua, conferindo-lhe ainda mais beleza. Abaixo, há a logo CMB.

Criação: Paulo Roberto Baptista

Modelagens: Luiz Henrique Peixoto (anverso) & Monique Porto (reverso)

Características

Espécie: Prata

Diâmetro: 40mm

Peso: 31.1 +/- 0,31g

Título: 999

Emissão: 200

 

Espécie: Bronze

Diâmetro: 40mm

Peso: Peso: 24 +/- 0,72g

Emissão: 300

 

Espécie: Cuproníquel

Diâmetro: 30mm

Peso: Peso: 10g

Emissão: 2000


Ref: 803832
Tipo do produto: Medalha
Material: Cuproniquel
Edital: 13/2021
Peso: 10g
Diâmetro: 30mm