Grandes ídolos do esporte - Adhemar Ferreira | Medalha de Prata

Grandes ídolos do esporte - Adhemar Ferreira

Medalha de Prata Prata


R$560,00
Últimas unidades

Adhemar Ferreira da Silva nasceu em São Paulo, em 29 de setembro de 1927. De origem humilde, além de estudar, o jovem precisou trabalhar muito cedo para ajudar a família em casa. O interesse pelo atletismo veio tardiamente, aos 18 anos, após receber um convite de um amigo para conhecer a pista do São Paulo Futebol Clube (SPFC). Após receber instruções básicas, alcançou a marca de 12m90 em um salto, impressionando a todos. Em seguida, Adhemar passou a treinar com a equipe de atletismo do clube.

Conciliando estudos e trabalho, Adhemar só podia treinar duas ou três vezes por semana em seu horário de almoço. Apesar das dificuldades, em sua primeira competição profissional, o Troféu Brasil de 1947, obteve a incrível marca de 13m05. No ano seguinte, mais bem preparado, saltou 15m03, qualificando-se para os Jogos Olímpicos de Londres-1948, onde conseguiu a oitava colocação.

Em 1950, a persistência e dedicação permitiram-lhe igualar o recorde mundial, que vigorava desde 1936, ao saltar 16m. Nos Jogos Pan-Americano Buenos Aires-1951, o atleta saltou 15m19 e conquistou o ouro. Esse feito se repetiria no Pan do México-1955 e no Pan de Chicago-1959. Nas Olimpíadas de Helsinque-1952, fez história atingindo a marca final de 16m22 no salto triplo, conquistando o ouro e quebrando os recordes mundial e olímpico. Pela primeira vez, para agradecer e comemorar, um atleta deu uma volta completa no estádio nos Jogos e, com esse gesto singelo, Adhemar eternizou a volta olímpica.

Favorito nos Jogos Olímpicos de Melbourne-1956, Adhemar bateu novo recorde com a marca de 16m35 e conquistou seu segundo ouro olímpico. O bicampeonato consecutivo, o primeiro do Brasil, está representado nas duas estrelas douradas que ornamentam o escudo do SPFC. Detentor de cinco incríveis recordes mundiais, o atleta teve seu nome incluso em 2012 no Hall da Fama World Athletics em Mônaco e, em 2020, no Hall da Fama do Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Adhemar faleceu em 12 de janeiro de 2001 e deixou-nos, além do legado esportivo, um grande exemplo de perseverança e vitória pessoal.

  

Arnaldo José da Silva Xavier

Especialista em Leitura e Produção Textual/UFF & Técnico Operacional/Casa da Moeda do Brasil

Anverso

Em primeiro plano, estão a representação gráfi­ca de uma medalha de premiação e o título da missão com a palavra “ÍDOLOS” destacada pela aplicação de textura. A fi­ta da medalha apresenta as inscrições da era 2022 e a marca da CMB.

Reverso

Em primeiro plano, à esquerda, está o portrait do homenageado em tampografi­a. Acima, a representação grá­fica da medalha com a ­fita faz o link com o anverso e, abaixo dela, estão os nomes ADHEMAR FERREIRA DA SILVA e da modalidade esportiva que o consagrou. À direita está representação grá­fica do Atletismo e, abaixo, estão as legendas BICAMPEÃO OLÍMPICO e SALTO TRIPLO referentes às suas inúmeras conquistas.

 

Criação: Millie Britto

Modelagem: Érika Takeyama

 

Características

Espécie: Prata

Diâmetro: 40mm

Peso: 31.1 +/- 0,31g

Título: 999
Emissão: 100

Espécie: Bronze

Diâmetro: 40mm

Peso: 24 +/- 0,72g

Emissão: 100

 

Espécie: Bronze Dourado

Diâmetro: 40mm

Peso: 24 +/- 0,72g

Emissão: 50


Ref: 803924
Tipo do produto: Medalha
Material: Prata
Edital: 1/2022
Peso: 31.1g
Diâmetro: 40mm